O que o PT teme em Marcel Van Hattem

Assisti com enorme satisfação a manifestação do Deputado Estadual Marcel Van Hattem, no Grande Expediente da Assembléia Legislativa gaúcha ocorrido na última semana. O tema de seu discurso foi a escolha do Rio Grande do Sul, estado que fez do intervencionismo governamental uma práxis que serve de denominadora comum de todas as suas administrações.

Durante quarenta minutos, Marcel fez ressoar o ideário liberal, valendo-se de citações a Ludwig von Mises, Friedrich Hayek e Margareth Thatcher. Demonstrou como o aumento dos tentáculos do estado asfixia a liberdade, corrói o desenvolvimento, atrapalha a inclusão social e determina a opressão sobre o povo.

Fab
O editor do blog entrevistando o deputado que o PT não enfrenta

Não creio que a referida casa, ao longo de sua história, tenha tido até então um orador tão vigoroso na paixão pela defesa da responsabilidade e da ação individual. Ao contrário, ali o valor frequentemente plasmado foi aquele que acabou por levar o Rio Grande do Sul ao abismo financeiro. Esquerdistas de toda sorte revesavam-se impunemente no púlpito para defender a salvaguarda dos elefantes brancos estatais, a criação de instâncias burocráticas e a fomentação da tributação como solução das despesas, gerando o circulo vicioso da perdição e da ingovernabilidade.

A chegada de Marcel ao Parlamento é simbólica do tempo de despertar do país, que parece encontrar uma alternativa ao “desenvolvimento pela autarquia”, como se referia o saudoso Paulo Francis àquilo que grosseiramente é conhecido como excesso de governo. O que o deputado fala ressoa com o respaldo das ruas, lotadas com milhões de pessoas que cansaram de pagar a conta da corrupção como método e da ineficiência como característica. Eleitores e cidadãos querem os burocratas longe de suas vidas. Eleitores e cidadãos que aprenderam, sob duras penas, a desprezar normatizações vorazes, inconsequentes e perniciosas que não representam a organização e a ordem,  mas compõe-se, isso sim, de  fatores geradores do subdesenvolvimento, da pobreza, da bagunça e da consequente insegurança jurídica.

Marcel 1
A covardia do PT em uma imagem

O monopólio de discurso dos predadores estatólatras acabou. Há quem lhes barre a passagem. Há quem lhes desnude ante a população. A sociedade viva, não aquela paga com sanduíches de mortadela, descobriu sua força e começa a se ver representada. E os parlapatões, longe de sua antiga e confortável condição de donos das boas intenções, tremem e vacilam ante a dor de enfrentar a verdade e a solidez de um discurso que não teme o policiamento de consciência. É por isso que a bancada petista na Assembléia do RS resolveu não comparecer ao grande expediente enquanto Marcel falava. Não foi por desrespeito ao orador, foi por medo do que suas palavras e ideias representam.

A patética cena das cadeiras e mesas vazias dos representantes do PT é a imagem perfeita de um partido que teme o debate por ver nele a sepultura de suas empulhações que funcionam apenas em palanques, em protestos custeados com dinheiro público e no assassinato de reputação. Ao invés de enfrentarem Marcel, os deputados do partido ficaram em seus confortáveis gabinetes, vociferando em muxoxo como é possível que alguém peite sua sacrossanta legenda e o seu ideário perverso de “outro mundo possível”.

Em quatro meses como deputado, Marcel Van Hattem já mostrou ser o incansável combatente em prol da liberdade que seus eleitores esperavam que ele fosse. Os resultados iniciais, ainda que com todas as limitações que seu cargo impõe, são notáveis. A debandada petista do plenário da Assembléia que o diga.

Confiram a íntegra do pronunciamento do Deputado Marcel Van Hattem:

Anúncios

20 comentários sobre “O que o PT teme em Marcel Van Hattem

  1. Clap clap clap! Parabéns deputado!
    Foi o melhor, pra não dizer o único discurso na última década que concordei 100%!
    Obrigada por colocar uma luz no final do túnel que o PT cavou e nos enterrou! UaU!

  2. O DEP sintetizou bem o estado hoje o estado custa mais do que beneficia usando a relação custo e beneficio,contrariando a logica de sua existência q é gerir o bem estar social já pagos pelos cidadãos pagadores de impostos invés disso o transforma em ativos financeiros para somente sustentar os privilégios dos operadores do estado .

  3. A CORJA COMUNISTA DOS PETRALHAS GAÚCHOS,FOGEM DO DEBATE,E QUANDO ABREM A BOCA QUERENDO PROMOVER A PAZ E O DESENVOLVIMENTO DO RS E DO BRASIL,TODOS SABEM QUE É UMA MENTIRA.DOS LÁBIOS DESSES TRAPOS QUE POR VENTURA SIBILAM A PAZ ENCONDE-SE O VENENO DA SERPENTE.

  4. Sou carioca e mesmo não sendo eleitor do nobre deputado, acompanho sua trajetória com muito prazer. Como brasileiro seu trabalho muito me orgulha. Desejo uma brilhante carreira e que tenha uma ascenção rápida a Brasília!

  5. Estou muito satisfeito de estar vivenciando este momento na vida política gaúcha e nacional. A sociedade está fazendo-se ouvir pela primeira vez em 500 anos de história.

  6. Este é o caminho, precisamos limpar a nossa casa, e sem medo de fazer uma politica nova, as prioridades em gastos públicos não podem ser de fachada. Tem que ser de verdade.

  7. Me orgulha muito, ter feito campanha para meus amigos deste cara que representa nossa voz que estava sufocada pelos maus políticos que ainda são maioria. Chega de pão com mortadela!

  8. Sou admirador do Nobre Deputado Marcel. Ele é parte da esperança que temos em ter um Brasil melhor. Que ascenda rapidamente ao Congresso Nacional.

  9. Minha primeira lente de aumento sobre
    PT, seus verdadeiros propósitos, foi justamente quando ganharam um mandato de Governo de Estado. O que a meu ver, facilitou a viabilidade de caixa para se fortalecer e avançar sobre acalentadas e fomentadas “vitimas” de si mesmo, carentes de um “Deus”. Fiquei decepcionada com a cegueira, mas estava feito. Este Estado, o Rio Grande do Sul, nos da agora a chance do resgate. Talvez demore, apesar de não termos tempo, mas já se vê que daí virá uma dos remos que colocará o barco no rumo certo.

  10. Para acabar com a corrupção, a incompetência, o estado enorme e burocrático precisamos mudar o sistema. No Brasil nada funciona porque políticos podem colocar qualquer um em cargos comissionados por indicação política para executar suas ordens ilegais, antiéticas e imorais. O mais triste é que quanto mais indicados corruptos um político tem, mais dinheiro ele ganha de caixa dois de campanha e maior a chance dele se reeleger. O resultado é um estado pesado, burro e corrupto onde os piores políticos sempre se reelegem. Se acabarmos com os cargos por indicação política acabamos com este ciclo vicioso. Quer um Brasil mais justo e coerente, assine a petição ou compartilhe a ideia do link: https://secure.avaaz.org/po/petition/Poder_legislativo_federal_FIM_DOS_CARGOS_POR_INDICACAO_POLITICA/share/?new

  11. já era seu admirador e com as vossas colocações no grande expediente da assembléia fiquei ainda mais e, acima de tudo, dizes o que nós gostaríamos de dizer, parabéns e continue assim. O Brasil todo já o admira. Queria lembrá-lo de algo que me intriga e gostaria que verificasses; porque os salários dos órgãos públicos não respeitam os limites impostos por lei! e o que se vê são ganhos muito acima dos limites previstos. Todos os governos que entram apresentam as famosas listas de salários, isto é de praxe, porem nada se vê de concreto e os ganhos estapafúrdios continuam sem que nada se faça. Como dizes, também em salários o Estado é máximo com benefícios mínimos. Parabéns

  12. estado inchado e as falácias. creio que existam duas palavras: operação zelotes. desculpem as redundâncias, mas o executivo executa, o legislativo legisla.. e fiscaliza. só na operação zelotes são 780 processos que representam uma dívida de R$ 357 bilhões em impostos e multas. uma pesquisa da Tax Justice Network o Brasil teria perdido, apenas em 2010 o equivalente a R$ 490 bilhões… temos o caso do HSBC, o notório SwissLeaks. é sabido: o Brasil oprime o mais pobre que, no preço do que compra, arca com os 54% equivalentes a exigências fiscais. o Imposto de Renda favorece a acumulação, assim como tributos sobre herança e doações. E as empresas são beneficiadas com subvenções.

  13. Marcel: se conitnuares assim, com esta lealdade, com certeza, encorajarás outros a se unirem a sua voz. Deus lhe abençoe grandemente em favor de nosso país.

  14. Tu chê! É preciso debater, refletir e encontrar o caminho que resgate a dignidade do povo. Educação, saúde e segurança através de um estado pronto a prestar serviços eficientes devem ser a meta a ser perseguida. Transparência, honestidade e respeito devem temperar nossas relações político/sociais entre cidadãos e máquina administrativa.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s