Notas sobre Jô Soares, o rotundo autoritário

Progressistas em ação: “Vamos fazer a revolução, mas depois do chá das 5.”

Quem assiste o programa do Jô merece ficar aborrecido, como eu fiquei ao ver um trecho das “Meninas do Jô”, veiculado na noite de ontem. O apresentador, com a apatetada concordância das demais integrantes da bancada de debates, resolveu soltar as patas, todas as quatro, sobre o suposto “conservadorismo” presente no Congresso Nacional. Para  Jô, “conservador” é, pelo que se escutou, tudo o que há de ruim e nefasto no mundo. Jô está do outro lado, de mãos dadas com a modernidade politicamente correta e seus coleguinhas “progressistas”. Eles são todos legais, bonitos, descolados e do bem. O humorista se tornou o protótipo perfeito do fidalgo com consciência proletária.

Jô Soares é irritante e prepotente na medida em que é irrelevante. Fala do alto de sua audiência em queda. A Globo tem optado por exibir seu Talk Show cada vez mais tarde. Esses dias o programa passou às 2 horas da manhã. É o horário em que a Band costumava exibir as aventuras eróticas de Emanuelle. Nada mais adequado para quem se vale da pornografia moral ao emitir opiniões.

Confiram mais notas minhas sobre Jô Soares:

Jô Soares é o legítimo gordo escroto. Se aproveita do Talk Show que comanda para exercitar seu maior talento: bancar o esnobe. A sensação que temos é de quando ele convida um francês, não o faz pelo conteúdo do francês e sim para mostrar que fala francês fluentemente. Já quando convida um comediante, parece querer mostrar que pode contar melhores piadas. Mas esperar o que de um programa onde a melhor coisa é a risada de um integrante da banda?

Jô Soares não acredita que o Brasil possa virar uma Venezuela. Isso não importa. O que importa é que o PT acredita.

Jô Soares fala que é golpe não aprovar o estupro da Lei de Responsabilidade Fiscal. Jô Soares defende Zé Dirceu e diz que ele tem biografia impecável. Jô Soares ataca quem é a favor do impeachment. Jô Soares poderia se aposentar dignamente, mas nessa toada quer encerrar carreira com um Talk Show na TV Brasil, tendo o Emir Sader no lugar do Derico e o Nassif no lugar do Bira.

Antes de todo mundo, foi Jô o primeiro a dar palanque para a presidenta:

Anúncios

2 comentários sobre “Notas sobre Jô Soares, o rotundo autoritário

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s